Buscar

NÃO ME REPRESENTA

Atualizado: 13 de Dez de 2018

As últimas semanas têm sido de dedicação especial à Think Blue, marca revolucionária de upcycling de jeans que tenho o prazer de comunicar junto à minha amiga e criadora de um projeto tão incrivelmente novo e bem acabado que em apenas 3 anos de existência, já protagoniza a cena da moda sustentável no país, e sendo assim, desfilou no Brasil EcoFashion Week em São Paulo


Éramos três amigas aqui, uma em alma e conexão instantânea (bem milleniums, nosotras) lá da Europa, colaborando no improvável projeto de fazer acontecer com um time do nosso tamanho, um desfile/protesto com funk, iconografia feminista, riot, placas, acessórios em homage às vulvas, patuás, #elenão, etc. O objetivo era de antes mesmo de começar o capítulo mais bizarro da (nossa) existência brasileira, já questionar o lugar do político que não nos representa em oposição artística/catarse, poucas e fúnebres semanas após a eleição. Fomos aplaudidas de pé por noventa e nove por cento da platéia e registradas por todo mundo




Colocamos frases famosas do ilustre presidente do país, as mesmas que poluem o youtube ao alcance de qualquer pesquisa com seu nome de merda, em placas nas mãos das modelos para construir a narrativa da oposição, incomodativa, muito parecida com que o já fazemos por aqui nas manifestações feministas. Não esperávamos acabar na Mídia Ninja, na Vogue e nos pesadelos de exércitos inteiros de minions


Com o imediatismo das mídias do nosso momentinho caótico porém tecnologicamente privilegiado, rapidinho a performance (quase censurada) no fashion week viralizou, e aos milhares apareciam pessoas agradecidas pela catarse que a gente criou, possível apaziguadora desse processo doloroso que tem sido lidar com dois mil e dezoito. Na loucura dos likes piscando ininterruptos apareciam ao mesmo tempo, em blocos organizados de ação coletiva - e também em bots, programados para disseminar ódio na lógica do spam - os comentários dos apoiadores do presidente eleito. Venho comunicando a Think Blue, portanto lidar com o besteirol agressivo na página foi no mínimo interessante e ecoa na minha imaginação até hoje. Sem outra alternativa, me resta agora registrar a narrativa, já que pelos próximos 4 anos é preciso enfrentar a manifestação cotidiana do fascismo


Das frases prontas dos mínions, as campeãs foram os convites à Cuba e Venezuela empatadas com vômito de ira contra o PT, seguido das ofensas às feministas. Em sua maioria mulheres que se descreviam como patriotas e cristãs, despejavam todo tipo de fala bizarra inacreditável tentando atacar tanto a marca quanto Mirella, criadora da Think Blue, e responsável por toda a baderna fashionista. O tragicômico cenário de baixaria política digital rolou por dias em ritmo insano, até que nossos apoiadores começaram a reagir respondendo com bastante ironia ao ódio irresponsável dos mínions





À base de meditação, café e muitos usuários bloqueados para nossa segurança estamos constatando neste experiência política o que talvez já sabíamos sobre os apoiadores do presidente, mas nunca imaginávamos uma reação desse tamanho.Todo dia também se constata a ingenuidade da bolha, acostumada a causas em manifestações feministas e tão completamente isolada do exterior que se tornando cada vez mais conservador


As pessoas não só elegeram o apoiador à tortura claramente despreparado para o cargo que vai ocupar, como também fantasiam com a verborréia violenta e antiquada que sempre foi naturalizada, mas nos últimos tempos tem sido corrigida publicamente por gente com o mínimo de apreço por direitos humanos


NÃO PASSARÃO


A internet é o ambiente o perfeito para a covardia, e a extrema direita tá sabendo direitinho manipular as emoções e mentes muito pouco imersas nas questões da vida em coletivo, e acostumadas a acompanhar enredos maniqueístas de seis às dez seguido de reality show e jornalismo falido

  • Instagram - Black Circle